Antônio era triste. Possivelmente não há definição melhor pra começar a contar sua história, embora, o tempo verbal da frase pose estar incorreta, ''Antônio é triste'' melhora o sentido para aqueles que queiram acreditar que esta personagem ainda está viva, o que devo já avisar, não é o que acontece. Tal livro não trará nada além de um desconforto estranho com os assuntos tratados, mas, possivelmente, será um bom passar de tempo. O triste da estória nasceu, cresceu e viveu, não houve reprodução, não houve árvores plantadas, mas houve livros, era poeta, era escritor, queria ser algo na vida, mas as tormentas que passavam por ele eram grandes demais perto do seu corpo magro e esquelético, as tempestades que tumultuavam os seus quereres eram devaneios ilusórios de uma mente cansada, o que ele só percebeu quando estava caindo do décimo-quinto andar de um prédio comercial no centro de sua cidade. 
Enquanto caia, a sua vida passou pelos seus olhos, e aqueles quarenta anos foram grandes anos, poucos, mas grandes. 
Essa obra fora encontrado na casa de Antônio pouco tempo depois do seu segundo sumiço. É importante salientar que o corpo encontrado esmagado contra um carro na principal avenida da cidade, nunca fora identificado com precisão, porém, as possibilidades indicam ser o escritor. Depois de ler, entender e juntar todas as escritas, que foram feitos numa máquina velha de escrever, resolvi compartilhar. 
Antônio, no fim precoce da sua vida, já não mais tinha amigos, apenas eu ia ao seu encontro quando ele precisava, mas, mesmo assim, em meio a uma eterna tormenta, ele contou sua história, por meio de crônicas.
 

Crônicas da Vida de Antônio

REF: CronicasAntonio
R$20.00Preço
  • Yuri Alves é mineiro de Santo Antônio do Monte, estudante de direito, possui amor pela música e por seus escritos.

  • * Por se tratar de um livro em PRÉ-LANÇAMENTO, os exemplares serão encaminhados para os enderços no mês de Outubro.